quinta-feira, 7 de abril de 2011

Hoje não tem humor...

"Lágrimas de Sangue", de Nádia Seixas

Quem te enublou o peito em tão fúnebre luto,
e deu-te o coração tão acerbo fruto?
Por que afeiam teu rosto esses prantos a fio,
e dos teus olhos te mana esse abundante rio?
(...)
Quem te cravou no peito essas rijas espadas,
e as veias te fincou com flechas tão aguçadas?
Bem o sabes, meu crime é que fez essas chagas,
vibraram golpes ta is as minhas mãos aziagas!
(...)
Anchieta, 1988 

Hoje não pode o riso querer se libertar... Hoje não pode ser contada a piada, a tirinha engraçada, o "causo" alegre... O Caminhar & Ruminar também chora os sonhos ceifados; também partilha a dor e o pranto de pais e mães, de cujos filhos a vida foi covardemente roubada. O lugar onde se semeiam sonhos, a escola, sofreu o seu pior atentado! Foi manchada de sangue!

Hoje, ao procurar por uma imagem que simbolizassem as lágrimas de sangue, surpreendentemente, também encontrei os versos acima. E eles dizem muito! 

Hoje, o Quintas de Humor se veste de luto e recusa-se a pronunciar qualquer outra palavra! Basta a dor!

12 comentários:

  1. Sinceramente, a sensação de impotência me invade nesses momentos. Fico pensando na minha filha, no fato de que a segurança é uma ilusão e de que estamos à mercê de todos os males do mundo. E é horrível me sentir assim. Que as vítimas diretas e indiretas dessa tragédia tenham forças para superar essa coisa horrorosa.

    :-(

    Bjos!

    ResponderExcluir
  2. Triste demais, nossa... que sensação de impotência diante da dor de tantos pais...

    ResponderExcluir
  3. Gilmar, vendo a cena na tv sem saber aonde tinha acontecido, pensei ser mais uma ataque a escola americana. É triste qdo a dor é em nós. Por que imitamos o pior das coisas, por que não nos inspiramos no amor cristão? Não sei tb o que dizer. Deixo o meu afeto.

    ResponderExcluir
  4. Vestimo-nos todos de luto hoje.
    Tristeza, dor e perplexidade.

    Beijos

    Carla

    ResponderExcluir
  5. Gilmar, onde se ler Eder Ribeiro disse, leia-se Samaryna disse. Todas as vezes que eu vou publicar os comentários no Gotas, eu tenho que entrar com a conta do Eder e depois sair e entrar com a minha para comentar nos outros blogs, às vezes eu esqueço. Desculpe-me.

    ResponderExcluir
  6. É mesmo meu querido amigo...que lamentável ver tanta tristeza, tantas vidas ceifas, tantas familias arrasadas por um ato tão insano.
    Meu carinho e imenso apreço por ti...um abraço
    Valéria

    ResponderExcluir
  7. Meu amigo, impossível o riso hoje. O coração foi inundado de trsiteza e dor pelas crianças, por suas famílias, pelos sonhos roubados.
    Deixo, aqui, registrada a minha indignação e tristeza.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  8. Olá. Estive por aqui. Você tem razão. Apareça por la. Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Uma dor compartilhada, um sofrimennto que trás indignação tamb...

    Bjss

    ResponderExcluir
  10. Gilmar,uma poesia comovente e não há mesmo espaço para o riso,depois dessa tragédia com as crianças do Rio!Que venha a paz!Bjs,

    ResponderExcluir
  11. Gilmar,uma poesia comovente e não há mesmo espaço para o riso,depois dessa tragédia com as crianças do Rio!Que venha a paz!Bjs,

    ResponderExcluir
  12. Que acrescentar meu amigo e mestre. nada masi senão o silêncio e a dor que ecoa no espaço.

    Beijos

    ResponderExcluir

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos