sexta-feira, 22 de abril de 2011

Baú do Caminhar: Blogar, Simplesmente!



Blogar, Simplesmente! 

Texto publicado em 01 de junho de 2010. Republico agora, propositadamente, em razão do aniversário do Caminhar & Ruminar, amanhã. E o faço porque traduz muito do que penso acerca do verbo blogar, aliás, como o próprio texto diz, ou seja, "conjugar o verbo blogar é desafiador e ao mesmo tempo hipnótico.

Gosto muito deste texto, principalmente porque transcrevo uma fala do JefhCardoso que é simplesmente magistral. Tomara que você também goste!



Dia desses, fui invadido pela curiosidade, após visitar um blog que acompanho e me deparar com um convite para a “2ª Blogagem Coletiva”, cujo tema era “Fotografe e conte a história”.

Blogueiro iniciante que sou, mesmo ressabiado, lembrei-me de um texto que publicara semanas atrás. Não contive o ímpeto e decidi que deveria viver a experiência.

Contatos feitos, ajeitei meu texto, inseri o ícone da 2º Blogagem proposta pelo Espaço Aberto e mergulhei na maratona. Visitei cada um dos blogs participantes, cinqüenta no total! Cada qual mais bonito que outro, recheados de efeitos, cores cintilantes, arranjos e layouts convidativos. Tanta vibração! Tantas vidas se misturando! Tanta gente, se fazendo conhecer e costurando relações de amizade e mútua cumplicidade!

O tema, único, revelou plurais compreensões e, em igual medida, múltiplas formas de expressão: poesia, prosa poética, crônicas, enfim, rimas e textos exuberantes, a explicitar sentimentos e verdades confessadas na virtualidade dos encontros.

Eu, navegante do instante, busquei em cada comentário postado, ser um pouco analista e sintetista, interpondo à racionalidade, grandes pinceladas de intuição, com a devida humildade para assumir o meu próprio tamanho. Ainda assim, insisti na consciência dual, buscando enxergar a mínima parte no todo e o todo na imensidão da parte. Só podia nascer encantamento!

Conjugar o verbo blogar é desafiador e ao mesmo tempo hipnótico. Ninguém melhor do que JefhCardoso para falar sobre isso:

“O Blog, á nossa maneira, á maneira do blogueiro amador, blogueiro por amor, não dá dinheiro; mas dá prazer. Isso sim. Quando bem trabalhado dá muito prazer. Quando elaboramos uma postagem nos percorre os sentidos uma onda de alegria. Somos tomados por uma euforia pueril. Tornamo-nos escritores ou escritoras que “parem” seus filhos; tornamo-nos editores; ou produtores; ou mesmo jornalistas, ainda que não o sejamos; tornamo-nos poetas e poetisas; contistas e cronistas; romancistas; críticos até. Queremos compartilhar o quanto antes aquilo que criamos. Criar é uma parte deliciosa do “blogar”; e blogar é a expressão máxima da democratização literária – e os profissionais que não façam caretas, pois, se somarmos todos os leitores de blog que há por aí divididos fraternalmente entre os milhões de blogs espalhados pelo grande mundo virtual, teremos mais leitores que Dan Brown e muitos clássicos adormecidos sob muitos quilos de poeira.
Postar é tudo de bom! Quando recebemos comentários o prazer é dobrado. Vem gente mais letrada que a gente, vem gente simples como a gente, vem gente nova e gente experiente; vem toda a gente; ou simplesmente não vem gente. Em meu caso, especificamente, quando não veio gente eu chamei as pessoas de meu convívio; ofereci um papelzinho do tipo convite com o link e fiquei esperando, ou então enviei o link por email; os amigos não me decepcionaram. (sorrio). A eles sigo muito grato. Pois se não são os comentários... Ai de nós blogueiros quando solitários! Confortamo-nos com a possibilidade das visualizações dos leitores tímidos”.

O Jefh foi  extremamente feliz neste texto! Conseguiu exprimir, com primazia, os sentimentos dos quais, todos nós blogueiros, somos tomados.

Penso que os comentários têm então a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado.

Os comentários, necessariamente, devem consentir a ampliação do ser humano, que se direciona, na individualidade de cada um, para a autorealização e, claro, na virtualidade da coletivização em direção à inter-relação.

Não se trata, portanto, de conspirar ou rechaçar egoísticamente a pluralidade de manifestações. Antes, porém, trata-se de aprender a conhecer-se refletido no outro e apreender o outro como possibilidade de melhorar o ser que habita nossa simples alma de blogueiro.

Resta pois, voltar a cada um dos blogs, perscrutando leituras. Saber mais. Sorver mais. Saborear mais. E sem dúvida, uma vez dentro, comentar: concordar, discordar, acordar...

5 comentários:

  1. Páscoa,

    °•♥♥ °°•✿♫°.•

    É ser capaz de mudar,
    É partilhar a vida na esperança,
    É dizer sim ao amor e à vida,
    É ajudar mais gente a ser gente,

    Boa Semana Santa!
    Feliz Páscoa!!!✿°º
    ✿♫♫°º

    Beijinhos.
    Minas°º
    • ♥♥♫° ·.

    ( ),,( )
    (=':'=)
    (,,)♥(,,)

    ResponderExcluir
  2. qd a gente faz as coisas por amor e porque gosta, sentimos prazer e ficamos felizes.
    Não dá dinheiro, mas o dinheiro não compra o q há d mais precioso na vida.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, Gilmar
    Hoje venho trazer …

    Minha mensagem de Páscoa:

    Permita-me que faça minhas as palavras de Einstein:

    "Algumas coisas são explicadas pela ciência, outras pela fé. A Páscoa ou Pessach é mais do que uma data, é mais do que ciência, é mais que fé, Páscoa é amor."

    Feliz Páscoa, com muito Amor.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Adorei ler seu texto e o que o seu amigo Jefh falou...realmente blogar é maravilhoso, nos proporciona uma interação belíssima com diferentes pessoas, diferentes mundos particulares, vivemos aprendizagem, amizade, enfim, é absolutamente enriquecedor e como voce diz, hipnótico.
    Meu amigo, aproveito para desejar uma Feliz Páscoa para voce e seus familiares...um abraço...
    Valéria

    ResponderExcluir
  5. Meu querido amigo

    Hoje passando para desejar uma Páscoa cheia de amor e muita paz junto dos que lhe são queridos e agradecendo as palavras que me deixa sempre.

    Beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos