segunda-feira, 19 de junho de 2017

A Viagem de Trem


Metáfora
 Dia desses, li um livro que comparava a vida a uma viagem de trem.  Uma comparação extremamente interessante, quando bem interpretada.
 
Interessante, porque nossa vida é como uma viagem de trem, cheia de embarques e desembarques, de pequenos acidentes pelo caminho, de surpresas agradáveis com alguns embarques e de tristezas com os desembarques... 


Quando nascemos, ao embarcarmos nesse trem, encontramos duas pessoas que, acreditamos que farão conosco a viagem até o fim: nossos pais. Não é verdade. Infelizmente, em alguma estação, eles desembarcam, deixando-nos órfãos de seus carinho, proteção, amor e afeto. Mas isso não impede que, durante a viagem, embarquem pessoas interessantes que virão ser especiais para nós: nossos irmãos, amigos e amores.


Muitas pessoas tomam esse trem a passeio. Outras fazem a viagem experimentando somente tristezas. E no trem há, também, outras que passam de vagão em vagão, prontas para ajudar quem precisa.


Muitos descem e deixam saudades eternas. Outros tantos viajam no trem de tal forma que, quando desocupam seus assentos, ninguém sequer percebe.


Curioso é considerar que alguns passageiros que nos são tão caros acomodam-se em vagões diferentes do nosso.Isso nos obriga a fazer essa viagem separados deles. Mas isso não nos impede de, com grande dificuldade, atravessarmos nosso vagão e chegarmos até eles. O difícil é aceitarmos que não podemos sentar ao seu lado, pois outra pessoa estará ocupando esse lugar.


Essa viagem é assim: cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, embarques e desembarques.  Sabemos que esse trem jamais volta.


Façamos essa viagem da melhor maneira possível, tentando manter um bom relacionamento com todos, procurando em cada um o que tem de melhor, lembrando sempre que, em algum momento do trajeto poderão fraquejar, e, provavelmente, precisaremos entender isso.


Nós mesmos fraquejamos algumas vezes. E, certamente, alguém nos entenderá. O grande mistério é que não sabemos em qual parada desceremos. E fico pensando: quando eu descer desse trem sentirei saudades? Sim.


Deixar meus filhos viajando sozinhos será muito triste. Separar-me dos amigos que nele fiz, do amor da minha vida, será para mim dolorido.Mas me agarro na esperança de que, em algum momento, estarei na estação principal, e terei a emoção de vê-los chegar com sua bagagem, que não tinham quando embarcaram.


E o que me deixará feliz é saber que, de alguma forma, eu colaborei para que
essa bagagem tenha crescido e se tornado valiosa.


Agora, nesse momento, o trem diminui sua velocidade para que embarquem e desembarquem pessoas. Minha expectativa aumenta, à medida que o trem vai diminuindo sua velocidade...


Quem entrará? Quem sairá?


Eu gostaria que você pensasse no desembarque do trem, não só como a representação da morte, mas, também, como o término de uma história, de algo que duas ou mais pessoas construíram e que, por um motivo ínfimo, deixaram desmoronar.


Fico feliz em perceber que certas pessoas como nós, têm a capacidade de reconstruir para recomeçar.


Isso é sinal de garra e de luta, é saber viver, é tirar o melhor de "todos os passageiros". Agradeço muito por você fazer parte da minha viagem, e por mais que nossos assentos não estejam lado a lado, com certeza, o vagão é o mesmo.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Coisas de Atleticano



Humor
Miau
Diz o vilanovense zoófilo:
—E aí? Vamos transar com um gato!
Então diz o cruzeirense sádico:
—Vamos transar com um gato e depois torturá-lo!
E diz o americano assassino:
—Vamos transar com um gato, torturá-lo e depois matá-lo!
Diz o ipatinguense necrófilo:
— Vamos transar com um gato, torturá-lo e depois matá-lo e depois transamos  com ele outra vez!
E diz o tupizense piromaníaco:
— Vamos transar com um gato, torturá-lo e depois matá-lo e depois transamos com ele outra vez e colocamos fogo nele!
Segue um silêncio, todos olham para o atleticano masoquista e perguntam:
— E aí?
E diz o Atleticano:
—Miaaauuuu!!!


Pesadelo Terrível
Um pesadelo terrível. No pesadelo, me levanto da cama e me olho no espelho e descubro que sou vesgo. Procuro freneticamente nos bolsos, para ver minha foto na identidade, para ver se na foto sou realmente daquele jeito, e acho um passaporte, e descubro... que sou argentino. Não pode ser, meu Deus, e me sento inconsolável em uma cadeira. 

Mas que porra! É uma cadeira de rodas, o que significa que além de ser vesgo e argentino sou também deficiente físico! 

É impossível, digo para mim mesmo, que eu seja vesgo, argentino e deficiente físico... "Pois é verdade!", grita uma voz atrás de mim. É o meu namorado. Cacete! Sou também viado. "Foi você que pegou a minha seringa?" Ó Deus! Vesgo, argentino, deficiente físico, viado, viciado e soropositivo! Desesperado começo a gritar, a chorar, a arrancar os cabelos e...não!! Sou careca! Toca o telefone. É meu irmão: "desde quando mamãe e papai morreram você só faz se entupir de drogas, vagabundeando o dia inteiro! Procura um emprego, arranja algum trabalho!" Que merda, descubro que também sou desempregado!!! Tento explicar ao meu irmão que é difícil encontrar trabalho quando se é vesgo, argentino, deficiente físico, viado, viciado, soropositivo, careca e órfão, mas não consigo, porque... porque sou gago!! 

Transtornado, desligo o telefone, com a única mão que tenho, e com lágrimas nos olhos, vou até a janela olhar a paisagem. Milhões de barracos ao meu redor. Sinto uma punhalada no marca-passo: além de vesgo, argentino, deficiente físico, viado, viciado, soropositivo, careca, órfão, gago, maneta e cardíaco, sou também favelado. Nesse momento volta o meu namorado e diz: "Amor, vai começar o jogo do Atlético!" 

Ahh nãaoo!! Tinha de ser isso?!!!! Gaylo?! Atrético, NÃÃÃÃÃÃOOOOOOOO!!!!!!!!!!

terça-feira, 6 de junho de 2017

Tua Canção...


Outros Autores 
 


Componha em mim tua canção

Gravando as notas em minha pele

Em clave que de vez me apaixone

Em harmonia repleta de inspiração



Faça os acordes decifrados nos desejos

Em ritmos que nos envolva e embale

Em solos que me desperte e conquiste

Na melodia sonhada dos nossos beijos



Envolva-me na construção de tuas escalas

Embala-me nos compassos de tuas cifras

Em notas musicais que me deixem rendida

Cabendo a Ti somente em mim, desenhá-las.


Tatiana Moreira - Blog Plantando Amor - Maio/2011 (http://plantandoamor.blogspot.com.br/2011/05/tua-cancao.html)

Imagens dos Caminhos