terça-feira, 31 de agosto de 2010

Ilusões do Amanhã

Outros Autores

Preocupo-me, sempre, em saber a veracidade dos e-mail's que recebo. Embora não tenha controle sobre tais informações, preciso crer nas fontes. Por isso sou sempre criterioso nas escolhas, ainda que tal atitude não me exima de equívocos.

A poesia, que hoje publico, neste espaço de "Outros Autores", foi enviada pelo professor Flamarion, companheiro desde os tempos de Brasília. Confio, portanto, nos argumentos por ele apresentados, mesmo optando por omitir maiores detalhes.

Segundo o professor, o poema foi escrito por um aluno da APAE,  e faz o seguinte apelo: "Peço que divulguem, para prestigiá-lo. Se esse garoto, com todas as barreiras que encontra, acredita  tanto no amor, por que a maioria das pessoas que se dizem 'normais' procuram, ao contrário, negar a existência deste mesmo amor?"




Ilusões do Amanhã

"Por que eu vivo procurando um motivo de viver,
 Se a vida às vezes parece de mim esquecer?
 Procuro em todas, mas todas não são você.
 Eu quero apenas viver, se não for para mim que seja pra você.
 Mas às vezes você parece me ignorar, sem nem ao menos me olhar,
 Me machucando pra valer.
 Atrás dos meus sonhos eu vou correr.
 Eu vou me achar, pra mais tarde em você me perder.
 Se a vida dá presente pra cada um, o meu, cadê?
 Será que esse mundo tem jeito?
 Esse mundo cheio de preconceito.
 Quando estou só, preso na minha solidão,
 Juntando pedaços de mim que caíam ao chão,
 Juro que às vezes nem ao menos sei, quem sou.
 Talvez eu seja um tolo,
 Que acredita num sonho.
 Na procura de te esquecer,
 Eu fiz brotar a flor.
 Para carregar junto ao peito,
 E crer que esse mundo ainda tem jeito.
 E como príncipe sonhador...
 Sou um tolo que acredita, ainda, no amor."

 PRÍNCIPE POETA (Alexandre Lemos - APAE)


15 comentários:

  1. Obrigada, Gilmar, por preocupar-se tanto em compartilhar conosco algo em que você confie primeiro. Deve ser por isso que confio em você. Muitos confiarão também.

    Dos versos, o primeiro chamou-me mais a atenção. O motivo? Uma coincidência de leituras... Ainda esta semana, chegou até mim um link de uma matéria da revista Vida Simples que falava sobre o sentido da vida. Eis: http://vidasimples.abril.com.br/edicoes/096/grandes_temas/faz-algum-sentido-589582.shtml

    "Por que será que precisamos tanto atribuir um valor especial para a vida?"

    Um abraço e boa semana pra você!

    Michelle Siqueira

    ResponderExcluir
  2. Gilmar é impressionante mesmo que nós plenos de todas as nossas faculdades tenhamos barreiras, tenhamos limites. São pessoas como esse rapaz, ditos especiais que o são mesmo e que conseguem enxergar com muito mais clareza que nós.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  3. Gilmar,
    Que coisa linda a maneira como o rapaz falou do preconceito, uma dor tão contida em seu coração, como se não pudesse o outro compreender o que ele senti, eu entendi porque sofro com o preconceito e posso dizer que só entende quem passa ou já passou por isso. Somos pessoas solitárias, apesar de muitos ao redor!
    Querido, obrigada mais uma vez pelo carinho lá no blog, aquele texto relamente traz várias abordagens dentro de um unico texto e para uma pessoa que queira desmembra-lo com certeza, tem assunto para muito papo e altas reflexões...
    Eu já o li várias vezes porque na verdade eu gostaria de praticar mais. Não tenho tanto apego ao material, mas às vezes preciso contentar-em com tudo que já tenho (que é muito) é ficar muito feliz, satisfeita, são muitas bençãos!!!
    Estou falando demais...
    Abs, muito carinho, te desejo uma semana produtiva e cheia de paz!
    Fique com Deus

    ResponderExcluir
  4. Amigo Gilmar, lindo poema. E uma procura que todos nós, afinal, fazemos ao longo de nossas vidas. Procuramos o Amor, em qualquer estado (sólido, líquido ou gasoso...). Amor pronto a ser consumido, abraçado, devorado. E esse sentimento é verdadeiro para qualquer um de nós. Basta sermos humanos. Afeto, atenção, carinho. Dar e receber. E as mãos se oferecem, com medo de ficarem suspensas, no ar. Lembremos de que, sempre, podemos segurar nossas próprias mãos... Um beijo, Deia.

    ResponderExcluir
  5. Oi Gilmar,

    Concordo, uma pessoa que luta para ser digna de seu caminhar, para ser respeitada perante suas dificuldades diferenciadas das demais pessoas, como esse aluno da APAE, está de parabéns por fazer de sua vida, um caminho saudável, sem problemas para si. Ele a encara com amor, com naturalidade. São poucos como ele, nas circunstâncias que lhes pertencem (alunos especiais).

    Beijos,

    ResponderExcluir
  6. Caro Gilmar!

    Tenho a mesma preocupação com os emails recebidos, este mesmo recebi algumas vezes, e é comprovadamente verdadeiro a fonte. Todas as vezes que o leio me emociono, porque as pessoas chamadas especiais possuem talentos não cultivados, por falta de condições muitas vezes, passa desapercebido o que elas têm de melhor. Espero que isso mude um dia, que o preconceito seja vencido pelo amor, e qualquer um tenha o direito sagrado de sonhar e sentir-se gente, sendo ou não especial.

    Obrigada por essa sensível partilha! Beijos no coração.

    ResponderExcluir
  7. Gilmar.... eu já conhecia e é mesmo além de maravilhosa a poesia, frustrante saber porque resistimos tanto em crer no amor!!!!
    e Obrigada por passar lá no nosso blog e por se dispor a segui-lo! Estou curtindo muito o seu!
    beijocas,
    Mari.
    Ah e obrigada pelos elogios...hahaha...sou mesmo uma piada as vezes!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Que lindo...este aluno da APAE, é um filho de Deus...e também tem seus dons...maravilhosa a visão dele do amor...me encantei... verdadeiro poeta do coração...
    Obrigada querido amigo, por compartilhar...beijos...
    Valéria

    ResponderExcluir
  9. Olá meu caro amigo Gilmar, estamos sempre nos surpreendendo com esses nossos alunos. É um fantástico desafio para a nossa amarga sociedade e uma vitória para os educadores desse poeta, parabéns pela divulgação.

    forte abraço

    C@urosa

    ResponderExcluir
  10. Meu querido amigo
    Lindo poema...quanto sentir e inspiração.

    E como príncipe sonhador...
    Sou um tolo que acredita, ainda, no amor."

    Que bom que ainda há pessoas que acreditam no amor e principalmente jovens.
    Adorei.

    Beijinhos com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  11. Se todos antes de passar adiante alguma coisa tivessem tua preocupação, não haveria tantas inverdades na internet.

    Mas o rapaz é maravilhoso e mostra sua capacidade de enxergar a vida, coisa que muitos outros não tem. Lindo!abraços,um lindo dia,chica(concordo inteiramente com o teu pensar qto ao suicídio,referindo-te ao comentar meu texto, mas infelizmente há os que veem nele a solução.Uma pena, falta-lhes algo maior,não?)

    ResponderExcluir
  12. Esse rapaz conhece bem a essência do amor...Coisa que muitos já esqueceu e perdeu!
    Eu costumo dizer que as pessoas ditas "especiais" ...Não são assim por precisarem de cuidados constantes, mas sim por serem pessoas mais sensíveis e tocantes!

    Riquíssima postagem Gilmar!

    Um abraço carinhoso

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    É amigo... que lindo poema... quanta verdade dita em cada um desses versos!...
    Boa semana!
    Beijinhos.
    Itabira
    Minas

    ResponderExcluir
  14. Oi Gilmar
    Vindo ao seu blog deixar meu abraço, agradeço esse poema tão lindo que oescoleu pra nos emocionar
    Acabo de saber da perda que sofremos ,nosso amigo Hod que foi voar em outras atmosferas, como ele gostava de falar, ontem mesmo deixou uma atmosfera de amor comentando minha postagem.
    A gente vai aprendendo a gostar de cada um , a medida que mais os conhecemos, Foi assim com o Hod.
    desculpe , ainda sob imensa emoção, deixo meu abraço carinhoso
    tenha boa noite Gilmar

    ResponderExcluir
  15. Oi Gilmar, estou muito triste. Minha amizade com ele estava se estreitando, falamos até pelo telefone, e ele era uma pessoa cheia de vida e de planos! Tantos e tão coloridos... A Mari também era muito amiga dele, se puder passar lá para deixar uma abraço ela irá gostar. Um beijo, ore pelos que ficaram e sentirão muito a falta dele. As porta no céu estavam abertas, tenho certeza!

    ResponderExcluir

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos