sábado, 28 de agosto de 2010

As Três Peneiras



Dona Flora foi transferida de seção na fábrica em que trabalhava. Para “fazer média” com o novo chefe, logo no primeiro dia, saiu-se com esta:
- Chefe, o senhor nem imagina o que me contaram a respeito da Zefinha...
Nem chegou a  terminar a frase porque “seu” Lico aparteou:
- Espere um pouco dona Flora. O que vai me contar já passou pelas três peneiras?
- Peneiras? Que peneiras “seu”Lico?
- A primeira é a da VERDADE. Tem certeza de que esse fato é absolutamente verdadeiro?
- Não, como posso? O que sei foi o que me contaram, mas eu acho que...
- Então sua história já vazou na primeira peneira. Vamos à segunda que é a da BONDADE. O que vai me contar é alguma coisa que gostaria que os outros dissessem a seu respeito?
- Claro que não! Deus me livre!
- Então, essa história vazou na segunda peneira. Vamos ver se vaza na terceira que é a da NECESSIDADE. A  senhora acha mesmo necessário contar-me esse fato ou mesmo passá-lo adiante?
- Não , chefe. Passando nessas peneiras vi que não sobrou nada mesmo do que eu ia contar.



Pessoas ocupam, todos os dias, os mesmos espaços, compartilham o mesmo ar, o mesmo tempo. E as diferenças atiçam os excessos e as incompreensões, tornando propensa a irritabilidade.

Como já disse em outros textos, aquilo que somos, a qualquer momento de nossas vidas, será determinado por nossos relacionamentos com aqueles que nos amam ou se recusam a nos amar, com aqueles a quem amamos e a quem nos recusamos a amar.

O certo é que o conflito existe e será saudável se soubermos trabalhá-lo com franqueza, serenidade e maturidade, para que nossas relações sejam de qualidade e assim "existam".

Enquanto atitude, é necessário propor-se a evidenciar valores e compartilhar alegrias, ao invés de "cozinhar azedumes".

Então, por hoje é isso: verdade, bondade e necessidade! Vale propagar!




Imagem:http://www-pensar.blogspot.com/2009/05/as-tres-peneiras.html

25 comentários:

  1. O grande mal da humanidade, meu caro Gilmar é que qdo chegamos aos outros, nós vamos com o olhar da crítica, mal os conhecemos e já vemos defeitos com se nós não fomos uma mixórdia de defeitos e qualidades. Abçs.

    ResponderExcluir
  2. Gilmar,
    Gosto muito desse texto. A gente pode trabalhar com platéia masculina e feminina. É só trocar "D.Flor" por "Seu Flor". Essas três palavras, realmente fazem a diferença! Bjssssss e bom final de semana!!!

    ResponderExcluir
  3. Que reflexão importante!

    Todos nós já nos pegamos agindo assim em algum momento. Usamos a justiça apenas quando sabemos que alguém falou sobre nós ou sobre aqueles a quem amamos. Mas a justiça deve ser feita em relação ao que dizemos dos outros, sempre.

    Bjos!

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Conhecia a mensagem de um Retiro mas gostei do que disse sobre cozinhar azedumes...
    É verdade!
    Nem em banho maria...
    Ótimo fim de semana cheio de paz interior.
    Abraços fraternos

    ResponderExcluir
  5. Putz, Gilmar! Que baita lição! Essa das peneiras, por mais conhecida que seja, é sempre um tapa de sensatez!

    Hã? Irritabilidade? Penosa irritabilidade, meu caro amigo. Penosa!

    Ocupar os "mesmos espaços"... Parece que o seu anda bem parecido com o meu, com as mesmas figurinhas repetidas. Se não fosse o Atlântico que os separa... Se bem que, no final das contas, são todos iguais.

    Um grande abraço e bom domingo!

    Michelle Siqueira

    ResponderExcluir
  6. Querido amigo, sabe que vivi, de verdade, essa história, e vale a pena dividí-la contigo. Trabalhava eu, muito mocinha, em uma grande empresa e tinha uma funcionária que era subordinada a mim. Todos os dias ela vinha com algum comentário malicioso a respeito de alguém. Todos os podres, cortes mal dados de cabelo, roupas de gosto duvidoso, nada escapava de seu crivo. Até que, um dia, farta de tanta malícia, resolvi fazer-lhe a seguinte pergunta: O que você vai dizer trará felicidade, genuína, para quem vai ouvir? Ele titubeou. E nesse titubear eu mais que rapidamente lhe disse: então, não continue semeando o mal ao seu redor. Meses depois eu me desliguei da empresa para trilhar um caminho diferente, mas, até hoje chegam a mim notícias sobre ela - continua desempenhando a mesma função, em outra empresa, e a língua continua afiada... Não evoluiu, e nem poderia! Um beijo, ADOREI o seu comentário lá no blog! Sua amiga querida, Deia.

    ResponderExcluir
  7. Caríssimo amigo,

    vc nos deixa uma reflexão e tanta por aqui! Valores que se perdem facilmente na correria que é o nosso dia a dia. Já foi dito que palavras são penas espalhadas no ar, depois de soltas não há como apanhá-las de volta.

    Obrigada pelo comentário deixado. Sorri quando perguntou quem chegou antes a foto ou a poesia, lembrei-me da outra pergunta, quem chegou antes a galinha ou o ovo? O importante é que os dois são imprescindíveis...

    Suas 'viagens' pelos meus poemas são muito interessantes, fiquei impressionada no penúltimo comentário com a facilidade com que capturou a essência do poema.

    Sinto vc mais reflexivo esses últimos tempos, um pouco triste talvez, a escolha da caricatura como perfil mostra um Gilmar cansado (será?), são conjecturas apenas...

    Grande abraço no meu amigo, sempre querido!

    ResponderExcluir
  8. Admirável Amigo:
    Um texto fantástico sobre a verdade, a bondade e a necessidade.
    Adorei, sabe? Assim, como ser seu seguidor num blogue de encanto e de maravilhar.
    MUITO OBRIGADO pela sua amizade.
    É uma honra.
    Abraço amigo ao seu fabuloso sentir e ser.
    Tudo aqui cintila de bem-estar numa atitude íntegra de Cidadania exemplar.
    Sempre a respeitá-lo e a admirá-lo

    pena

    Excelente!
    Bem-Haja, prodigioso amigo.
    Adorei.

    ResponderExcluir
  9. Também acho Gilmar!!! Essas três peneiras são mesmo fundamentais!
    Aliás citei o seu blog lá no nosso e escrevi sobre a Magia se quiser conferir!
    beijoca,
    Mari.

    ResponderExcluir
  10. Se todos observassem essas 3 palavrinhas,né? Lindo!abraços,chica

    ResponderExcluir
  11. Gilmar
    Muito bom mesmo o seu texto. Uma necessidade enorme de propagar principalmente dentro do seu local de trabalho.No meu tempo se comparava com o recado que passava de um para o outro e ao chegar no último era um assunto totalmente diferente. O RH falava da brincadeira do telefone.
    Depois levarei esse texto para propagar no m@myrene com os devidos créditos é claro.

    Obrigado pelo seu comentário e pelo seu voto. Realmente concordo que merecia uma continuação a história, mas numa participação se alongarmos muito fica cansativo.

    Cheguei a comentar com a amiga Chica e vou preparar a continuação sim e depois te aviso.

    Vou continuar a passear pelas suas histórias.

    Beijos e um bom domingo

    ResponderExcluir
  12. E propagar sempre, Gilmar!
    Que ótima lição pra começar a semana... obrigada por dividi-la conosco.

    Perdão pela ausência, mas as coisas andam corridas por aqui.

    Beijo grande!

    Ah! Hoje é aniversário do Wilson e do irmão dele. Passa lá pra comemorar com a gente!

    ResponderExcluir
  13. Querido Gilmar, ótima estória...o quanto seria poupado se cada um passasse pelas 3 peneiras o que estivesse pensando...antes de falar...
    Doce domingo amigo...beijos...
    Valéria

    ResponderExcluir
  14. Olá, amigo!
    Como o mundo está precisando dessas peneiras!!!
    Ah... dei boas gargalhadas com o vovô sarado.
    Bom domingo!
    Boa semana!
    Beijinhos.
    Itabira

    ResponderExcluir
  15. Olá Caro Gilmar,

    Embora eu não tenha a obra em mãos, o que me fez recorrer a busca pela internet, esse texto está no livro "Humano, Demasiado Humano" do Filósofo Frederich Nietzsche. Caso for necessário, buscarei na biblioteca da faculdade uma fonte mais segura amanhã (segunda-feira),
    como editora, edição, etc... E assim passo a ti uma informação melhor.

    Forte abraço e sinta-se livre para publicá-lo, estou começando a fazer um estudo individual sobre Nietzsche, que vem provocando muito minha
    curiosidade em sua Filosofia. Ele escreve coisas belíssimas!!

    No mais, em breve mandarei a fonte completa.

    Off: Não foi possível mandar-lhe o e-mail, o sistema recusa avisando que sua caixa está cheia, por tal motivo, estou respondendo aqui.

    ResponderExcluir
  16. Olá Gilmar, como vai? Você sempre disseminando cultura e sabedoria. É o caso dessa bela parábola."Quando temos a verdade, não importa como, a justiça sempre prevalece", não é Gilmar? Se bem que, atualmente, com a impunidade que reina no país, nem sempre é assim. Mas a justiça "divina" prevalece,e essa é a nossa esperança.
    Quanto à bondade/sabedoria,na minha opinião, devem acompanhar a verdade.Esse tripré, se seguido à risca, fará com que o ser humao viva em paz.

    Um abraço e meus parabéns pelo belo e didático post.

    E.T. Agradeço, de coração,sua visita e seu sensível e inteligente comentário. Tenha certeza, que o brilho citado por você em relação ao selo Veja que recebi foi irradiado por comentários como o seu. Muito obrigada.O prêmio é seu também.

    ResponderExcluir
  17. Oi gilmar, verdade, bondade e necessidade não podem faltar em nossa vida! Ótima postagem, beijos

    ResponderExcluir
  18. Meu pai me dizia: se não tem nada de bom pra falar de alguém, não diga nada. As 3 peneiras são uma ótima lembrança pra levarmos na mente.
    Beijos e uma semana linda pra vc.

    ResponderExcluir
  19. Refletir sobre valores é algo que realmente vale a pena.

    Foi ótimo iniciar minha semana assim...
    Parabéns por este lugar.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  20. Fico agradecida por achar o meu canto um bom sitio para visitar ^^

    Caso queiras ajuda a organizar melhor o layout do teu blog posso tentar ajudar-te...

    O meu foi tirado dos Btemplates, mas eu fiz o template da 'sanzinha' e das 'The unforgiven souls' para ficarem únicos e arrumados...

    (Se desejares dar uma olhadela, o link do jardim da San acredito que tenhas ^^, então só falta o outro template que fiz 'http://theunforgivensouls.blogspot.com')

    Mas o que é bom, quando temos muitas coisas para meter no blog, 3 colunas é o ideal... Assim fica mais fácil e rápido as pessoas verem o que tens para mostrar!

    ----

    Ainda bem que ainda existe no mundo, apesar de serem poucas e raras, pessoas que ainda vivem a sua vida sobre essas três bases... Mas de que servem elas sem o amor?
    O problema da humanidade é que amamos a nós mesmos, temos direito a amar segundo o que desejamos e quando não acontece tentamos fazer com que seja pelo nosso caminho.

    Mas também depois saíram castigados nesta vida, de que serve tudo o que se deseja caso jamais tenhamos visto um sorriso verdadeiro e profundo ... Caso nunca tenhamos sentido esse sozinho em nós mesmos, daqueles que nos preenche, nos ilumina!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  21. Olá meu caro Gilmar, passei para uma visita e já gostei do seu blog, bom humor, sensibilidade e inteligência, espero poder voltar por aqui mais vezes, parabéns.

    PS: Estarei te linkando para melhor acompanhar.

    forte abraço

    C@urosa

    ResponderExcluir
  22. Gilmar, estou sempre a combater os excessos e procurando um equilíbrio. Lógico que nem sempre possível, mas não gosto de alcovites.

    Ai, ai... agora vai começar a fazer listinha de coisas que não gosto!

    Quando falei que não gosto de piadas, não expliquei os motivos e situações. Gosto da sutileza que usa, como neste texto e nas imagens do post anterior. Mas não gosto de piada velha! Acho que me entende! (rs*)

    Socialmente somos a soma das mentalidades que convivemos, enfim, a imagem que se idealiza segue sempre o padrão da maioria ou por acaso, você pode pensar que está se sentindo diferente hoje e, porque não, eu também?

    “Liberto do real, você pode criar um real mais que real – o hiper-real”, Jean Baudrillard em “Simulacros e Simulação” que inspirou o filme "The Matrix” - para pensar!

    Em certas circunstâncias o mundo pode não parecer real e em dadas noites você sonha com algo que parece já ter acontecido. Seria o sonho uma realidade e a vida real apenas um sonho? Pensando assim, os conflitos do homem não existem e são apenas criações do homem que quer dar mais realidade a sua vida. "Cozinhar azedumes" (adorei!) é típico de pessoas que mais precisam fazer da vida um sonho bom!

    No final de semana não consegui comentar nos blogues que usam o sistema de comentário integrado ao post. Somente nos configurados em pop-up!

    Boa semana!! Beijus,

    ResponderExcluir
  23. Gilmar, adorei este texto 'as três peneiras' !
    é tão verdadeiro e se aplica em tudo na vida!
    teu blog é muito bom e do bem!

    você esteve no meu blog e me perguntou sobre as técnicas que usei na arte digital; usei um programa específico para ilustração o 'Illustrator' e também o Photoshop; estou 'fuçando' sozinha estes programas e a cada dia aprendendo um pouco; é isso!
    um abraço
    e nos veremos sempre!

    ResponderExcluir
  24. Vale repetir Gilmar : verdade, bondade, necessidade.
    Que bom se lembrássemos sempre disso.
    Os relacionamentos seriam certamente mais saudáveis.
    Adorei.
    deixo meu abraço

    ResponderExcluir
  25. Sempre é agradável visitar seu espaço, Gilmar. Gosto desta variedade, sempre de bom gosto.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos