quarta-feira, 7 de maio de 2014

De Quem é a Bola



Outros Autores
A bola


É de Adão e Eva
É do Governo
É do sistema
É do pai. . . da mãe
È da Igreja
É da Escola
Afinal, de quem é a bola?

ADÃO E EVA:

No princípio do mundo, Adão e Eva cometeram a primeira falta contra Deus. Os homens passaram a atribuir todo o mal do mundo —as doenças, as crises, os sofrimentos— à falta cometida por Adão e Eva.

“A bola “ , o problema, era sempre atribuído ao pecado de Adão e Eva. Acontece que as crises foram aumentando, o mundo evoluindo, o homem conscientizando-se e concluindo que a bola não era de Adão e Eva e jogaram-na para o Governo. A bola passou a ser do Governo...


O GOVERNO:

O Governo passou a ser responsável por todos os problemas, por todos os males que envolviam a humanidade. O povo passava fome por causa do Governo. A educação não ia bem , por causa do Governo... Professores e alunos não eram competentes, por causa do Governo... Coitado do Governo...  Coitado do Presidente... Jogaram a bola para as suas mãos, responsabilizando-o dos pequenos e grandes problemas. Acontece que o Governo fez uma minuciosa análise e concluiu que a bola não era dele, mas do sistema . Levaram então a bola para o sistema...


O SISTEMA:

Quem é o senhor Sistema? O que ele faz? Onde ele fica? Todas as famílias acusam o senhor Sistema como responsável pelos problemas. Responsabilizam pais, educandos e educadores ao sistema, pelo elevado número de marginais adolescentes que aparecem nas grandes capitais, culpam o senhor Sistema de não tê-los educado e não possuírem família. O povo continua a questionar: De quem é a bola? E acham como resposta , que a bola é do pai e da mãe...


O PAI E A MÃE:

O pai e a mãe entram em polêmica. O pai joga a bola para a mãe, acusando-a de co-responsável pela educação dos filhos. Se os filhos vão mal, ele diz: “Você não pára em casa; você não os acompanha: não cuida de sua saúde; só pensa em emancipação; quer ter os mesmos direitos dos homens; trabalha dois horários”. Essa família vai mal. A mãe por sua vez, sentindo-se injustiçada joga a bola para o pai, acusando-o por não estar presente no lar, nos momentos difíceis de educar, dizendo-lhe que ele só tem tempo para o futebol, trabalho, amigos e cerveja no boteco. Essa família vai muito mal. Acontece que os dois em crise, resolveram justificar um erro de responsabilidade jogando a bola  para a Escola...


A ESCOLA:

A escola recebe os reflexos dos problemas familiares e sociais traduzidos em alunos subnutridos, carentes, de aprendizagem lenta, desajustados...

Mas a escola resolve se isentar desta responsabilidade de educar e diz que o problema, “a bola” é do pai, da mãe, do Sistema, do Governo e que ela só vai fazer aquilo que lhe compete...

Acontece que a bola continua solta...  O mundo em decadência, as crises aumentando, os homens se violentando, as crianças se degenerando e o mundo que foi criado para ser paraíso, passa a ser um campo de concentração, guerras de desamor...

“A  bola” está sendo jogada para lá e para cá. O problema não chega a uma solução, por que todos tiram o corpo fora, omitindo-se e tornando-se alheios diante de amor , da responsabilidade.

Portanto,  fica com você, agora  “ A BOLA “.

Fonte: Apostila da Faculdade de Filosofia , Ciências e Letras de Boa Esperança. Professora Iara Naves Borges.1994.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos