terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

A Medida do Amor!

"Areia nas mãos", de Ana

Uma mãe e a sua filha estavam a caminhar pela praia. Num certo ponto, a menina disse: 

— Como se faz para manter um amor?
 
A mãe olhou para a filha e respondeu: 

— Pegue num pouco de areia e feche a mão com força...

A menina assim fez e reparou que quanto mais forte apertava a areia com a mão, com mais velocidade a areia escapava. 

— Mamãe, mas assim a areia cai!!!

— Eu sei, agora abra completamente a mão... 

A menina assim fez, mas veio um vento forte e levou consigo a areia que restava na sua mão. 

— Assim também não consigo mantê-la na minha mão! 

A mãe, sempre a sorrir lhe disse: 

— Agora pegue outra vez um pouco de areia e mantenha a mão semi aberta como se fosse uma colher... bastante fechada para protegê-la e bastante aberta para lhe dar liberdade. 

A menina experimenta e vê que a areia não  escapa da mão e está protegida do vento. 

A mãe então, carinhosamente, conclui:

— É assim que se faz durar um amor!!!! 


Autor desconhecido

13 comentários:

  1. Linda mensagem, uma pura verdade.
    Bjs Gilmar
    Mila

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Cheguei aqui pelo bau do veloso e gostei!
    Tenho um blog com acrtuns e quadrinhos, caso queira me visitar e até seguir, será um prazer:
    http://beraltocartum.blogspot.com/
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Gilmar,

    Outro dia li um trecho que dizia exatamente isso mas com outras palavras. É preciso deixar o amor livre. Quanto mais possessivos formos mais ele se afastará de nós. E muitas vezes, por egoísmo ou medo de perder aquilo que nos faz bem acabamos sufocando o outro, tirando-lhe a liberdade de escolha. E o sofrimento de ambos é inevitável.
    Do texto fica a certeza. Amar é uma arte por vezes difícil demais de aprender.

    Que você tenha um dia iluminado, Gilmar!

    Beijos

    A paz esteja contigo

    ResponderExcluir
  5. Oi Gilmar, eu já havia lido esse texto, mas a mensagem é tão bonita que vale relê-lo muitas e muitas vezes.
    Já dizia o poema: amor só sobrevive em liberdade!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  6. Muito linda essa mensagem,Gilmar! abraços,chica

    ResponderExcluir
  7. Gilmar, a mensagem é linda. Para mim, amar é cuidar de, desde que não excedemos, a ponto de tolhirmos a liberdade do outro, ou fazer dos cuidados máscaras para esconder nossa incapacidade de confiar no outro. Abçs.

    ResponderExcluir
  8. Taí algo que aprendemos com a maturidade... :-)

    Bjos!

    ResponderExcluir
  9. Oi! a mensagem em si é tão bonita, mas adquire ainda mais significado quando notamos que quem ensina sobre a arte de amar é uma mãe, justamente para sua filha, o objeto máximo de amor na vida de uma mulher. Saber acolher aos filhos sem lhes sufocar, saber abrir os braços para que voem, garantindo-lhes que o pouso estará sempre disponível. Isso é amar... Delicado e comovente, querido Gilmar, sempre de bom gosto! Um amável abraço, Deia.

    ResponderExcluir
  10. Fazia tempo que eu não aparecia por aqui. Sempre é muito bom te visitar, Gilmar. Deliciei-me lendo os teus textos. Aprecio como consegues concliliar a leveza dos textos de humor com os "conselhos" para viver e ser melhor.
    Parabéns, especialmente pela perseverança de manter o blog no ar com a qualidade de sempre.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  11. Muito linda e verdadeira mensagem...a busca da sabedoria, do equilibrio do sentir...
    Ótimo dia amigo...abraços
    Valéria

    ResponderExcluir

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos