quinta-feira, 1 de julho de 2010

Temos que ter a FORÇA

Foto: As tuas mãos, de Pedro Gonçalves

Temos que ter a FORÇA
do vento que carrega a pedra,
da água que move a terra,
da mulher que gera o filho,
do jovem que abraça os sonhos.

Temos que ter a FORÇA
da noite que segura as estrelas,
da rosa que resiste aos espinhos,
do pão que alimenta a vida,
da fé que afasta o medo.

Temos que ter a FORÇA
do ombro que suporta a cruz,
da mão que levanta o enfermo,
do sol que acorda o dia,
da paz que cala a guerra.

Temos que ter a FORÇA
do amor que une os namorados,
do sorriso que revela a alegria,
da  fraternidade que iguala as pessoas,
da palavra que jorra dos lábios,
do coração que sabe amar.

Temos que ter a FORÇA
para nos tornar uma gota d’água e,
com as estrelas, fazer um rio
que corra para Cristo,
O GRANDE MAR!



A autora dessa poesia chama-se Aparecida Luzia Teixeira, que é cega, casada com um cego, mãe de 3 filhos, um dos quais é doente mental. Ainda assim, ela registra a mais linda poesia, nascida que é da esperança que lhe move; nascida da fé, que lhe alimenta os sonhos; nascida da determinação, que lhe ampara; nascida da "garra", que lhe impulsiona.

Esse é o exemplo que comove, que cativa, que instiga e que faz refletir sobre o rumo e a força dos passos...

Quando me deparo com um texto, feito esse, onde se dá conta de juntar expressões escritas e história de quem as escreveu, então é tempo de frear ansiedades, paralisar incômodos vivenciais e tentar alcançar a melhor compreensão possivel. Essa tentativa remete-me a Guimarãoes Rosa, em Grande Sertão Veredas, quando diz que “Um sentir é o do sentente mas o outro é do sentidor”.

Basta de palavras!

17 comentários:

  1. Adorei seu poste, a força que me passou com ele foi maravilhosa.
    Bjs querido
    Mila Lopes

    ResponderExcluir
  2. Gilmar concordo quando você escreve que ao lermos algo escrito por alguém que acorda todo os dias tendo que ter força e fé em dobro que temos mesmo, que deixarmos de lado as pequenas mazelas do dia a dia, pois coisas muito mais importantes nos movem. E pensar que damos tanta importância, a coisas sem importância. Utilizamos nossa força e energia de forma errada.
    Um beijo e bom dia

    ResponderExcluir
  3. Lindíssima Gilmar!

    Às vezes preciso de força e olhos para dentro, para fora, para os lados...
    Respiro e peço, porque com certeza não é nada fácil...

    A superficialidade te faz calmo, mas a calmaria passa no silencio...

    Beijo no coração, parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Meu amigo
    Um belo poema e um grande exemplo de vida.

    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  5. Sempre acreditei que a verdadeira força vem do sofrimento e da adversidade, embora a mídia mostre outro discurso,

    esse poema é absolutamente cheio de verdade e vida, toca exatamente por não ser um discurso vazio,

    precisava ler isso hoje.vObrigada por compartilhar,

    Abraço fra-terno,

    ResponderExcluir
  6. Oi meu grande amigo!

    Ainda em tempo para lhe agradecer todo carinho recebido nesse pouco tempo em que nos conhecemos (e parece que nos conhecemos há anos!)

    Compartilho do mesmo sentimento do intraduzível, tamanha afinidade, é assim mesmo, e que seja sempre!...

    Recarregar as energias é essencial na caminhada, se isto vier acompanhado de uma viagem ainda melhor,

    Beijos, e se cuide!!

    ResponderExcluir
  7. Três filhos, Gilmar?!

    Eis que me pesa a angústia da autorreflexão... E eu, que força tenho? É nessas horas que a honestidade obriga-me a assumir minha medíocre existência.

    A frase do Guimarães Rosa (que também aprecio muitíssimo) tem tudo a ver com você. Devia ir para o seu "Perfil" em definitivo.

    Grande abraço,
    Michelle

    ResponderExcluir
  8. Olá, amigo!
    Conheci seu espaço e amei!...
    Essa força descrita no poema de sua amiga cega inevitavelmente nos leva ao otimismo e a crer na vida e que ainda podemos acreditar no ser humano.
    Bom fim de semana!
    Beijinhos.
    Itabira.
    Minas.

    ResponderExcluir
  9. Gilmar, lindo demais o poema que você postou, desta autora e poetisa.. mulher de fibra...um verdadeiro exemplo de perseverança e força...

    Temos alguns amigos em comum...e hoje vim te conhecer e fiquei muito feliz em encontrar em seu espaço, tanta beleza e sensibilidade. Estarei te acompanhando de pertinho, já estou a seguir seu blog...voltarei...

    Doce tarde e um lindo final de semana!
    Beijinho
    Valéria

    ResponderExcluir
  10. O que dizer depois de ler palavras tão fortes. Fracos são aqueles que não acham força para quebrar as suas fraquezas. Vivas para a Aparecida. Abçs, caro Gilmar

    ResponderExcluir
  11. Gilmar!!! Vc ganhou de novo... hahaha!!!!

    Que super!!! Parabéns meu amigo querido, vc merece mesmo, e quem é bom é assim mesmo, ganha sempre!

    Eu acertei de novo os dois palpites de você ganhar! Estou super contente com isso,

    continue a escrever e a nos encantar com suas palavras bem articuladas e cheias de sentimento,

    Eu vou, mais eu volto. (Agora vou mesmo!)

    grande beijo!

    ResponderExcluir
  12. Há pessoas que nascem cegas, apesar de enxergarem perfeitamente. A Aparecida enxerga com o amor e com a força de seu coração. E vc tem na alma a coragem, humildade e a generosidade necessárias para tentar "alcançar a melhor compreensão possivel" a partir da observação da vida.
    Agradeço seu comentário no meu blog, e dizer que tive vontade de postá-lo, tão bem escrito, relevante e intenso o considerei.
    Beijos e apareça sempre para o chocolate.

    ResponderExcluir
  13. Estou simplesmente sem palavras pois a emoção que sinto ao ler este poema é mais forte.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  14. GILMAR: os meus parabéns a essa doçura de mulher que TEM COM ELA A FORÇA! Essa repetição anafórica (repetitiva) de cada estrofe, dá mostra de duas coisas ,imediatas, para mim: primeiro "É preciso ter força" para contrariar as limitações que a vida nos pode impor. E nisso, essa SENHORA , È UM EXEMPLO DE VIDA!
    Depois, há que notar a MENSAGEM POÉTICA que ela nos transmita, ao acabar cada estrofe , de maneira que "TODOS VAMOS, MESMO SEM QUERER ,TER AO GRANDE "MAR": esse Senhor que nos dá provas da Sua existência,ao fazer existir essa senhora, essa força da Natureza que a contemplou com 3 maravilhosos rebentos:
    BEIJOS PARA TI, GILMAR, e PARA A AUTORA.
    LUSIBERO

    ResponderExcluir
  15. Há todo momento precisamos de força, às vezes mais, às vezes menos.Um bonito post.

    Ah!Gilmar, sou eu,Mauro Rocha, o dono do blog do Doces & Publicações, não há nomes porque como no filme "O Último Tango em Paris" com Marlon Brando,às vezes não precisamos de nomes, apenas fazer a coisa certa.Mas não se preoculpe loucuras de poeta.

    Um abraço!!

    ResponderExcluir
  16. Oi Gilmar
    Lindo Poema.
    Um exemplo assim que nos levanta e mostra quanto
    supérfluos somos.Me toca e faz ficar atenta nas pessoas, nos instantes seguintes, na vida que segue.
    Obrigada por participar com a foto no GuestBoock e
    fique a vontade em tudo que quiser,ok?
    bom domingo

    ResponderExcluir
  17. Passando para agradecer seu comentário maravilhoso...
    Obrigado!
    Volte sempre com todo esse carinho, será um prazer.
    Bjs
    Mila Lopes

    PS: Mudei a foto, rs

    ResponderExcluir

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos