quarta-feira, 19 de novembro de 2014

A Pasta Dental

Metáfora



Numa grande empresa, quando os diretores de marketing se reuniram  para desvendar o mistério das vendas de pasta de dentes, visto que, apesar de bem aceitas pelo mercado, de boa margem de venda, os produtos demoravam obter uma Segunda compra. A preferência pelo produto era notória, contudo, ainda assim, as vendas não deslanchavam.

Pesquisaram mercados, analisaram dados e informações, e nada, absolutamente nada detectaram. O produto tinha uma excelente aceitação e credibilidade. Era o preferido em todas as pesquisas de vendas. Era o melhor produto, em termos de qualidade e credibilidade que a empresa dispunha. Contudo, o paradoxo continuava: Por que um produto tão bem aceito demorava tanto a desocupar as prateleiras dos supermercados? Era mesmo um mistério.

Numa certa noite, os técnicos em marketing trabalhavam incessantemente e nenhuma resposta foi possível. Estavam tão envolvidos com o problema que nem perceberam a presença do faxineiro, um senhor já de meia idade, de gestos e atitudes tão simples quanto sua condição socioeconômica. Continuaram o debate entre os muitos e misteriosos porquês. 

 A certa altura da conversa, o faxineiro se intrometeu:

—Senhores! Posso oferecer uma colaboração? Posso dar uma opinião sobre o problema que os senhores estão discutindo?

Todos se entreolharam estupefatos, porém, educadamente permitiram que o faxineiro se manifestasse. E ele continuou:

—Há uma alternativa muito simples para que o produto acabe depressa para quem o compra. Veja bem, se o produto demora a acabar é porque o bico onde sai a pasta de dente é muito fino. A solução é só aumentar o tamanho do bico de saída da pasta dental.

Os técnicos em marketing ignoraram o faxineiro, mas educadamente agradeceram. Em seguida, dirigiram-se para a sala do presidente, onde uma reunião os aguardava.

Na sala do presidente, após longas discussões sem resultado, e ante as enormes pressões que o presidente fazia, querendo a qualquer custo uma alternativa, um dos técnicos em marketing, já num desabafo, soltou uma gozação:

—Senhor presidente, já fizemos de tudo que foi possível. A saída só pode se dar por uma mágica, ou então, como disse o faxineiro, só se aumentarmos o tamanho do bico por onde sai a pasta de dente.

Mal acabou de falar e começaram a  despencar risadas do caso. Porém, o ar sério e reflexivo do presidente contrastava à gozação ensaiada. Foi então que o presidente disse:

—Esse é de fato o melhor caminho.  Aumentar o tamanho do “buraco” do bico de saída. Que grande ideia. O problema de vocês é que não souberam escutar. Eis aí a grande saída. Chamem este faxineiro aqui e a ele daremos uma bela gratificação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos