terça-feira, 12 de outubro de 2010

Advertências...

Foto: "Pare... Escute... Olhe...", de Graciete Bernardo

 Outros Autores
ADVERTÊNCIA
          Paulo Bonfim


"Ai daqueles que brincam com a esperança de um povo!

Ai daqueles que se banqueteiam junto a fome de seus irmãos!

Ai daqueles que são fúteis numa hora grave, indiferentes num momento definitivo!

Ai daqueles que corrompem para tirar proveito da corrupção, que envenenam o mundo pela volúpia de caminhar impunemente entre ruínas!

Ai daqueles que fazem da mentira a verdade de suas vidas!

Ai daqueles que usam os simples como degraus de sua vaidade e instrumentos de sua ambição!

Ai daqueles que fabricam com a violência a trama do medo!

Ai daqueles que roubam do próximo a alegria de existir!

Ai daqueles que usam o dinheiro e o poder para prostituir, humilhar e deformar!

Ai daqueles que se atordoam para fugir das próprias responsabilidades!

Ai daqueles que traficam a terra de seus mortos, enxovalham tradições e traem compromissos com o presente e com o futuro!

Ai daqueles que se fazem de fracos no instante da tempestade!

Ai daqueles que se acomodam a tudo, que se resignam a tudo, que se entregam sem lutar!

Ai daqueles que loteiam seus corações, alugam suas consciências, transacionam com a honra, especulam com o bem, açambarcam a felicidade alheia e erguem virtudes falsas sobre pântanos!

Ai daqueles que concordam em morrer vivos!"

11 comentários:

  1. Uau, que texto Gilmar!
    Muito bom te ler.
    Obrigada pelo carinho comigo.
    Beijossssssssss

    ResponderExcluir
  2. Oi Gilmar,
    Nem tem o que comentar nesse texto!
    Perfeito!!
    Bjsssssssssss

    ResponderExcluir
  3. Olá Gilmar!

    Texto muito bem escolhido. Palavras verídicas e convidativas ao despertar...
    "Ai daqueles que concordam em morrer vivos!" - Perfeito!

    Posso ter demorado mas... aqui estou. Aos poucos estou retomando as visitas e as postagens.

    Carinho imenso, Gilmar!

    Ps. Te convido a visitar o blog Yehi Or! Será muito bem vindo!

    ResponderExcluir
  4. Pontual o seu comentário sobre o "pano de fundo" do egoísmo generalizado. Vou pensar mais a respeito.

    Senti um lamentar profundo na sua reflexão breve sobre um problema atualmente vivido. Não sei do que se trata, nem preciso, mas se precisar de qualquer ajuda, pode contar comigo. E de longe, assim meio sem ferramenta sólida para te apoiar, ofeceço apenas o meu desejo de que tudo volte a ficar bem novamente.

    Sobre a pauta de hoje, só um complemento de leitora: ai daqueles que não lerem!

    Gde abraço,
    Michelle

    ResponderExcluir
  5. Muito bom esse poema de Paulo Bonfim e bem atual, infelizmente.
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Gilmar, meu amigo, obrigada pelo seu carinho sempre!
    Que texto maravilhoso e fecha com chave de ouro ou luva de pelica. Guardo para mim: "Ai daqueles que loteiam seus corações, especulam o bem e erguem falsas virtudes."
    Um beijo

    ResponderExcluir
  7. ...Pois triste é a sorte que os espera.

    Ótimo texto, Gilmar.
    Assino embaixo de cada linha.

    Um grande abraço!

    Deus seja contigo.

    ResponderExcluir
  8. Meu querido amigo, sinto que a ferida está mais profunda... o ombro e ouvidos estão à disposição, sempre! Um grande e fraternal abraço, Deia.

    ResponderExcluir
  9. Amigo Gilmar

    Leio esta advertência e sinto que pobre daqueles que se acomodam e não lutam por seus ideiais. Sinto que gritastes, desabafastes e tallvez estejam mais leve.

    Confesso ainda que me senti mais leve também!!!

    Mais leve e emocionada com cada palavra que deixastes em comentário no Razão contra emoção que me emocionou demais e conseguistes me fazer chorar... emoção que nos faz bem demais e que bom que caminho contigo na mesma estrada.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Gilmar,

    Tem selinho para vc em meu blog, passe lá depois,

    de coração,
    Ester.~

    ResponderExcluir

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos