sábado, 27 de agosto de 2016

As Três Pérolas da Sabedoria

Metáfora



O velho bispo, tido como grande pregador em toda a região, vinha caminhando um dia pela mata quando viu um coelho se debatendo para libertar-se de uma moita de cipós.


— Oba! (pensou o bispo) Vou levá-lo para casa e terei um belo assado para o jantar!


Assim, libertou o coelho, amarrou suas patas e colocou-o vivo dentro de um saco. De repente, enquanto andava, começou a ouvir uma voz abafada, que parecia estar saindo de dentro do saco.


— Por favor senhor bispo, liberte-me e em troca eu lhe darei três pérolas de sabedoria...



O bispo, em resmungos sussurrados reflete:


— O coelho fala! Logo deve ser alguém que sabe. E as três pérolas que ele vai me revelar poderão me render um bom sermão para o meu rebanho...

O bispo retirou o coelho de dentro do saco, ansioso para ouvir o que ele iria dizer. Então o coelho falou:


— As três pérolas de sabedoria que eu lhe ofereço são: 1º) jamais acredite em algo que lhe pareça absurdo; 2º) nunca se violente, tentando fazer algo que esteja muito além das suas forças ou que vá contra os princípios que você defende e 3º) jamais se arrependa de ter feito uma boa ação.


O bispo ficou realmente impressionado pela mensagem do coelho e prontamente libertou-o.

Ia feliz pela estrada pensando no belíssimo sermão que faria sobre as três pérolas de sabedoria reveladas pelo coelho, quando este apareceu bem na sua frente. E com a cara mais lambida do mundo, disse ao bispo:


— O senhor é realmente muito burro! Se tivesse me levado para o jantar ficaria rico, pois ao limpar minha barriga, para assar, descobriria dentro dela o maior diamante do mundo...


Ouvindo isso, o velho bispo ficou indignado por ter perdido aquela fortuna e começou a correr atrás do coelho, tentando pegá-lo novamente. O coelho, como todo mundo sabe, é um animal que corre muito rápido. O bispo, velho e fora de forma, partiu em sua perseguição, mas logo tropeçou numa pedra e caiu, exausto e com a perna machucada.


Ao vê-lo caído, o coelho aproximou-se dele e falou:


— Você vinha pensando em fazer um sermão aos seus fiéis, exortando-os a adotarem, como norma de vida, as três pérolas de sabedoria que eu lhe revelei, não ia? No entanto, nem você mesmo foi capaz de segui-las...


— Como assim?



Disse o bispo ofegando e com muita dor.


— A primeira pérola de sabedoria que eu lhe revelei é que jamais acreditasse em algo que lhe parecesse absurdo. Quer coisa mais absurda do que um coelho falante que carrega na barriga o maior diamante do mundo? A segunda pérola dizia para jamais se violentar, tentando fazer algo muito além das suas forças ou que fosse contra os seus valores. Pois bem, você decidiu partir no encalço de um animal veloz como um coelho completamente sem condições físicas. E para que? Apenas para tomar posse de uma riqueza material, que vai contra o princípio de pobreza que você sempre defendeu publicamente diante dos seus fiéis. E a terceira pérola que eu lhe revelei dizia para jamais se arrepender de ter feito uma boa ação. E você se arrependeu de ter me libertado, em troca da minha revelação.

Então, para concluir, o coelho falou:


— Agora levante-se daí e vá preparar o seu sermão de domingo. Eu estou certo de que você acaba de ficar preparado para passar adiante as três pérolas de sabedoria que eu lhe revelei...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos