sábado, 7 de fevereiro de 2015

O Rio e o Oceano

Metáfora



Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano ele treme de medo.
 
Olha para trás, para toda a jornada,
 
os cumes, as montanhas, o longo caminho sinuoso
 
através das florestas, através dos povoados,
 
e vê à sua frente um oceano tão vasto que entrar nele
 
nada mais é do que desaparecer para sempre.
 
Mas não há outra maneira.
 
O rio não pode voltar.
 
Ninguém pode voltar.
 
Voltar é impossível na existência.
 
Você pode apenas ir em frente.
 
O rio precisa se arriscar e entrar no oceano.
 
E somente quando ele entra no oceano é que o medo desaparece,
 
Porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano,
 
Mas tornar-se oceano.
 
Por um lado é desaparecimento
 
 e por outro lado é renascimento.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos