domingo, 22 de fevereiro de 2015

O Jogo de Damas

Metáfora
Damas



Num remoto vilarejo da Europa Oriental, num dos dias de Chanuka, um respeitado rabino entrou na casa de estudos, num momento em que não o esperavam e encontrou seus discípulos jogando o jogo de damas, quando deveriam estar estudando as leis sagradas, como era o costume naqueles tempos.

Quando viram o Mestre ficaram confusos e sem saber o que fazer. Pararam o jogo imediatamente.

Um dos discípulos, envergonhado, tentou desculpar-se:

— Nos perdoe, Mestre. Apenas queríamos nos distrair um pouco!

O velho fez um gesto bondoso e perguntou:

— Vocês conhecem as regras do jogo de damas?

Como ninguém respondeu, ele mesmo tratou de responder:

— Vou lhes dizer quais são as regras: a primeira é que não se podem fazer duas jogadas por vez. A segunda, que somente se pode mover para frente e não para trás. A terceira, que quando se chega lá na ultima fila, você esta livre para ir aonde quiser.

E concluiu:

— Vocês estão aprendendo lições muito importantes sobre a nossa existência. Prossigam em seu jogo, por favor, prossigam...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos