terça-feira, 18 de agosto de 2015

Diagnóstico de uma morena



Uma jovem morena vai num consultório médico e reclama que todos os lugares do seu corpo doem quando ela toca.
— Impossível — diz o doutor. — Mostre-me como pode ser.
Então, ela encosta seu próprio dedo no seu ombro e grita agonizante. Depois ela encosta em sua perna e grita, encosta em seu cotovelo e grita e assim por diante.... Qualquer lugar que se tocava, ela gritava.
O doutor perguntou:
—Você não é morena natural, não é?
E ela responde toda calma e tristonha:
—Não. Na verdade eu sou loira. É que resolvi pintar meus cabelos!!!
O doutor coça a cabeça, balança e diz com ar sério:
— Foi o que eu pensei!! Seu dedo está quebrado!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos