sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Os meus filhos...

Meus Rabiscos



Um passo é dado rumo ao infinito... desconhecido... sonhado...
Um passo, largo feito um rio sorridentemente caudaloso, que baila entre pedras machucadas pelo tempo, por entre vales que escondem vida... por entre montanhas que volvem olhares enamorados...

Um passo... Dois passos...
Um grande passo! Dois grandes passos...

Passos de um aprendiz que se surpreende com a lágrima fugidia...
Que se encantam com  sorrisos inocentes...
Que permitem o mais sublime encontro: a paternidade!

Passos que tropeçam, mas não fazem esmorecer a esperança...
Que cruzam rápido o tempo, meteoro de incertezas e de belezas indecifráveis... mas que já temem o horizonte do desaparecimento...

Passos que descortinam a existência noutros tempos... São lançados adiante...
Que sobrevivem... Que renascem noutros caminhos...
Passos que respiram a mais inteira felicidade permitida...
Estão vivos, porque neles vivo!

2 comentários:

  1. Boa noite, Gilmar!
    Nosso filhos são nosso bem maior!
    Seja feliz e abençoado!
    Abraço muito fraterno e Felizes Festas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São sim, Rosélia! Muitas graças, por isso! Muita Luz em seus caminhos! Fraterno abraço!

      Excluir

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos