sábado, 30 de abril de 2016

Indignação: politiquice fétida e putrefata


É tanta canalhice no meio político; é tanta politiquice da mais fétida espécie; é tanto bandido se passando por paladino da justiça; é tanta roubalheira sem trégua; é tanta gente sofrendo misérias por conta desses “engomadinhos engravatados”; é tanta gente assaltada na sua já combalida cidadania, que eu chego a pensar que o voto ainda está encabrestado na ausência de discernimento, maturidade e criticidade e, por isso mesmo, pouco ou quase nada vale. 

Esses larápios da cidadania, iletrados políticos, ignóbeis farsantes em busca de holofotes, mercenários defensores dos próprios interesses e, aos nossos olhos, de outros os mais escusos, não se envergonham mais das canalhices, não se envergonham mais das imbecilidades que dizem, não se envergonham mais da "babaquice" que propagam... Não se envergonham porque o incauto cidadão se conforma, ainda aceita, ainda aplaude, ainda troca favores, ainda se "ajeita" em benesses, ainda não aprendeu a escolher... Ainda confunde representatividade com favorecimentos outros...

Então penso que o voto deve vestir-se de revolução e, quem sabe, somado aos votos de outros tantos indignados, gritar em alto e bom som: BASTA! Penso, por vezes, que se o país sofrer o colapso do voto nulo, talvez os larápios e gatunos possam ser lançados ao esgoto putrefato, de onde não deviam jamais ter saído. Talvez, quem sabe...  

A esperança que nos acalenta, nessa estrada solitária, insiste fazer acreditar que a consciência de voto um dia chegue... um dia desembarque na cidadania. E, quem sabe assim, se aprenda a escolher, se aprenda a "detonar" politiqueiros e gatunos fantasiados... quem sabe assim, se aprenda de fato a autonomia do cidadão... quem sabe assim, se aprenda um pouco mais de patriotismo, de "Brasilidade".

Estou tão indignado que concordo, hoje, plenamente, com Rui Barbosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos