quinta-feira, 12 de junho de 2014

Sementes Diferentes

Metáfora
Semeando

A casa era bonitinha. Apenas o terreno em frente, maltratado, abandonado, oferecendo aspecto desolador.


Manhã de feriado. O marido, sem ter o que fazer, estava olhando e pensando. A mulher fora passar o dia na casa da mãe. Ele foi buscar a enxada.


Cortou fundo, revirou a terra, quebrou torrões. Trouxe adubo, tornou a remexer para misturar bem.


No dia seguinte, quando voltasse do trabalho, traria sementes de verdura e a horta estaria pronta.


A esposa só voltou à noite e nada viu. Madrugada, lá se foi ele. Levantou-se ela e, ao ver o terreno preparado, teve uma ideia: plantaria flores.


Correu ao mercadinho, comprou sementes e as plantou. O marido, por sua vez, plantou as sementes de verdura. Sem conhecimento dos planos um do outro, ficaram esperando e observando.


Quando as folhinhas de um verde pálido, sobrepujaram os torrões de barro (as sementes haviam germinado), o marido constatou que não fora aquilo que ele plantara; por isso, arrancou tudo.


Quando chegou a vez da verdura, com igual raciocínio, a esposa fez o mesmo.


Continuaram esperando e... nada.




No lar, onde o casal não vive em harmonia, não trabalha em cooperação na educação dos filhos, o fenômeno é muito parecido. Só que o prejuízo é muito maior, pois os canteiros são os filhos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade!
Os comentários têm a função precípua de precipitar a maturação da reflexão, do texto “apossado”. É um ponto de partida, sem o ponto de chegada. É o exercício da empatia no rompimento do isolacionismo, posto que, tudo está conectado. É a sua fala complementando a minha. Por isso mesmo fique à vontade para o diálogo: comentar, concordar, discordar, acordar...

Imagens dos Caminhos